Descrição do Projeto

Signo do Zodíaco – Sagitário – 2015/2016

Acrílica s/ tela

75 x 60 cm

S/ Título, 2012

Acrílica s/ tela

40×30 cm

Justiça

Acrílica s/ tela

80×70 cm

S/ Título

Acrílica s/ eucatex

36×30 cm

TENHO INTERESSE

Por favor, aguarde ...

Rodrigo De Haro

Paris, França – 1939

Formação:

Poeta, contista, artista plástico e painelista. Rodrigo de Haro, é um dos “imortais” da Academia Catarinense de Letras, ocupando a cadeira de número 35.

Trajetória:

Radicado em Florianópolis, filho do consagrado pintor Martinho de Haro, foi criado entre as tintas e as artes na casa da família. Rodrigo não gosta de ver seu trabalho como uma pintura regionalista, mas admite que o meio influencia o artista e a magia da Ilha de Santa Catarina, onde mora, está presente em vários de seus quadros. Com um currículo de projeção nacional e internacional, tem na crítica especializada o reconhecimento de seu talento. Sua obra é classificada como contemporânea, sem fugir muito do arcaico. Rodrigo sempre escreveu poesia. Nos anos 60, em São Paulo, liderou o movimento poético que renovou o interesse pela poesia.

Nota sobre o artista:

“O artista catarinense Rodrigo de Haro mostra seu mergulho em direção a uma escrita escondida no inconsciente dos homens. Para isso, utiliza-se de vistosas formas art nouveau e de figuras orientais. Uma aproximação que não é estranha à arte ocidental. (…) Rodrigo de Haro é artista de uma linha que se convencionou chamar de fantástica, de escrita quase automática, plena de fantasia e intenções. A vantagem que o dadaísmo e o surrealismo nos legaram foi a possibilidade de tornar o inconsciente, com sua simbologia, acessível ao trabalho artístico, mediante o uso de uma técnica chamada de automatismo. Como se o artista abrisse as comportas do seu mundo oculto e, sem nenhuma censura, cristalizasse esse mundo em forma e cor. Rodrigo de Haro é quase fiel a esses primórdios do surrealismo. Artista contemporâneo, ele trabalha sua pintura com elementos diversificados. Procura que ela seja abrangente, utilizando simultaneamente técnicas de cartaz, surreais e uma anedótica ilustração oriental. (…)”.

Jacob Klintowitz

Exposições:

2006 – Narrativas, Galeria Múltipla, São Paulo/SP.

2004 – Alma das Ruas, MASC, Florianópolis/SC.

1999 – II Bienal de Artes Visuais do Mercosul (Artista Convidado), Porto Alegre/RS.

1998 – Ilha ao Luar, MASC, Florianópolis/SC. Ilha ao Luar, Galeria Pacifico, Buenos Aires, Argentina.

1985 – O Surrealismo na Arte Brasileira, Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo/SP. Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, MAM, São Paulo/SP. Galeria Ars Artis, São Paulo/SP.

1984 – Tradição e Ruptura, Fundação Bienal, São Paulo/SP.

1980 – Desenhos e Gravuras, Museu Victor Meirelles, Florianópolis/SC.

1979/83 – Panorama Atual de Arte Brasileira, MAM, São Paulo/SP.

1975 – Galeria Seta, São Paulo/SP.

1974 – Pinturas Fantásticas, Museu de Arte do Paraná, Curitiba/PR.

1972 – Arte Fantástica, Paço das Artes, São Paulo/SP.

1968 – Galeria Domus, Rio de Janeiro/RJ.

1966 – Pinturas, MAM, Florianópolis/SC.