29/10/2021 a 20/11/2021

Dos ícones bizantinos à arte contemporânea

Curadoria: Kethlen Kohl e Luciana Knabben

Co- curador: Andrey Parmigiani

CLIQUE AQUI E CONFIRA O CATÁLOGO ONLINE

Helena Fretta Galeria de Arte em parceria com a Escola de Iconografia São João Damasceno convida para a EXPOSIÇÃO EIKONÓSTASIS – UM OLHAR PARA ALÉM DO VISÍVEL, que será inaugurada no dia 29 de outubro na Galeria Helena Fretta. A exposição tem como tema central explorar as várias nuances das iconografias bizantinas, seu processo de escrita e consagração, bem como suas reverberações na arte contemporânea catarinense.

A exposição é dividida em três abordagens que se articulam em torno do ícone: Imagens do Invisível, com o conjunto de obras produzidas pela Escola de Iconografia São João Damasceno, do Mosteiro Santo Ivo, junto à Igreja São João Batista. Iconografias em processo, em que apresentamos as etapas de construção dos ícones e suas especificidades. Sala dourada, uma relação com o visível, em que encontram- se os desdobramentos do aspecto imagético dos ícones nas obras dos artistas catarinenses.

O termo iconografia deriva do grego eikon, imagem, e grafia, escrita. A escritura do ícone é realizada seguindo os cânones aceitos pela Igreja do Oriente. Os cânones tradicionais envolvem a sequência de processos na atualização de uma grafia (desenho), em que gestos e simbologia de cada figura são representados. O ícone, uma vez consagrado, vai além de suas técnicas e torna-se uma janela para o invisível. Fala por si só. É um sacramental (traz presente a pessoa figurada), não descreve uma história, ele a atualiza, interpreta, simboliza e a transfigura.

Apesar do ícone ser uma imagem invisível, sua matéria visível é um artefato de destaque na História da Arte Bizantina. Sua nobreza fascinou diversos artistas desde a virada antropocêntrica, que vão de El Greco a Picasso. A relação de suas obras com o ícone, se constitui a partir do uso da técnica, cor, forma, perspectiva reversa, superfície lisa e plana, bem como a utilização de características do cânone na figuração dos santos. Os artistas Cássia Aresta, Fernando Lindote, Juliana Hoffmann, Rodrigo de Haro, Rubens Oestroem Sara Ramos e Vera Sabino em seus processos dialogam, desviam e movimentam-se nesse campo visual e conceitual com suas particularidades.

Além da exposição, este projeto tem como objetivo divulgar a Escola de Iconografia São João Damasceno, que é dirigida pelo Padre Luiz Harding Chang, que ajuda com as aulas de iconografia e a professora Mestra Iconógrafa Rosalva Trevisan Rigo, de Paraí, RS, formada na Russia e na Itália. O curso é organizado como um retiro espiritual que envolve oração e trabalho (ora et labora). Tal como o trabalho de tradução de um texto bíblico (grego ou hebreu) para as línguas modernas, tal é o iconógrafo ao escrever o Ícone: ele simplesmente atualiza a Palavra revelada em cor e forma. Não cria, mas segue fielmente o modelo que contempla. Não assina o ícone, pois trata-se de um ministério (serviço) eclesial. Nesse espírito, o aluno participa e aprende todos os passos para a realização de um Ícone, que não busca ser uma fotografia ou pintura do santo representado, mas um Ícone da pessoa Cristificada.

Parte dos lucros da exposição será revertida para a Escola mantida pelo Mosteiro Santo Ivo que oferece oportunidade de aprendizado para pessoas carentes.

O que: Exposição Eikonóstasis – um olhar para além do visível

Quando: de 29 de outubro a 20 de novembro de 2021

Local: Helena Fretta Galeria de Arte

Visitação: de seg. a sexta das 10hs às 18:30h e sábados das 09hs às 13h.

Rua Presidente Coutinho, 532 Centro – Florianópolis

Contato: (48) 3028-2345/ 98408-234